Pois, na realidade, nesta casa somos mais do que três. Contando com a Mifi e o Luke, somos cinco a sujar!
Os gatos habitam no atelier, local onde passamos a maior parte do dia. São a nossa companhia, a companhia dos nossos colaboradores e, nas horas de maior aperto, são quem nos ajuda a descontrair… Entre um desenho e outro, há sempre tempo para uma festa, uma brincadeira… uma asneirada, também.
O Luke é o nosso gato mais pequenino, perito na asneirada!! Trepador, curioso, brincalhão, anda sempre de roda de nós.
Ao domingo de manhã, enquanto é feita a limpeza do atelier, estes gatinhos têm direito a subir até nossa casa. Foi num destes domingos de primavera que o Luke achou que devia marcar o seu território nos tapetes do nosso quarto.

Estamos na semana 22… como o tempo passa!!
Não tarda estamos a meio do ano.
Começámos este blog em janeiro e cá continuamos… a cumprir o compromisso — pessoal, mas público — de tornar a nossa casa e o atelier locais de serenidade e inspiração.
Por esta altura, temos já noção de que muito do que gostaríamos de fazer ainda este ano, passará para o próximo! É a vida… o tempo “ruge” e estas cabeças andam mais depressa do que o corpo… e também há vida para além das tarefas domésticas…
Mas isso não nos aflige. Sabemos, desde há alguns anos, que com esta casa teremos obras para todo o sempre… e uma vida inteira pela frente para as fazer! Iupiiii!!!  -_- 🙂

Depois de termos começado o ano a destralhar em força, confesso que, com tantos dias de chuva, esmorecemos um pouco… Para destralhar temos que tirar tudo do sítio, separar, tirar de casa, limpar o que fica e os espaços e voltar a arrumar. Quer dizer, depois da lavandaria já destralhámos a oficina, que foi uma enooooorme empreitada!… Mas quando descobrimos as vantagens desta atividade caseira, isto pode tornar-se um vício… e eu já estava a ressacar…

Por esta altura os campos estão fabulosos, todos coloridos! Sim, as flores são lindas no campo… mas também são em nossa casa, dando-lhe um ar cuidado, fresco e natural. Estas, silvestres, trazem-nos tranquilidade e conectam-nos à terra. Ainda por cima, estão propagadas por todo o lado, são fáceis de apanhar e não custam dinheiro.
E disse-me um jardineiro que, se colocarmos na jarra umas gotinhas de fertilizante com potássio (biológico, digo eu), elas duram mais tempo.

Pois, andava há uns meses a ver se me aguentava só com esta mesa de trabalho…

IMG_9409-1

Desenha aqui neste cantinho, chega a Wacom para lá, puxa o scanner para cá, troca o scanner com a impressora, liga a máquina fotográfica daquele lado, põe os livros no chão,… uma ginástica constante.
“Assim, é difícil trabalhar…” — queixei-me.