Bons motivos para organizar e decorar a mesa de cabeceira.

Mesmo com o tanto que temos para fazer, mesmo com obras para gerir, com mudanças por terminar, contratos de fornecimento de água, luz, gás, comunicações, mesmo com o trabalho diário no atelier, as aulas, workshops e formações,… e os afazeres caseiros e a atenção à família e aos amigos,… mesmo que os dias não nos cheguem para tudo… uma coisa é essencial para a nossa tranquilidade e saúde mental: o ninho. E com ninho quero dizer uma casa minimamente organizada, limpa, cheirosa e bonita. Minimamente, se não der para mais.

Felizmente, nos últimos dois anos destralhámos muito e organizámos muito e, hoje, não deixo de pensar no que seria de nós, da nossa casa e do atelier, por estes dias, se não o tivéssemos feito no passado. Ainda assim, há muita confusão à nossa volta e muito por arrumar, mas é um caos controlado e mais ou menos organizado. A casa vai-se mantendo limpa e arrumada dedicando um pouquinho de cada dia a uma tarefa sempre diferente: um dia dobra-se meias enquanto se vê vídeos no Youtube, no outro organiza-se uma gaveta ao som da nossa banda favorita; num serão passa-se a ferro enquanto se vê um documentário na Netflix, no outro substituímos um quadro que já nos andava a “fazer comichão”, ou esvaziamos um caixote, ou arranjamos uma ficha, ou decoramos uma prateleira… e tão importante é para nós a limpeza da casa como é a sua organização e a sua decoração. Tudo vale o mesmo e tudo contribui para o nosso bem-estar.

Foi num destes momentos que achei que a minha mesa de cabeceira estava a precisar de atenção. Apesar de ser uma mesinha engraçada, descontraída e feminina – com alguns anos, é certo (veio de uma tia) –, estava meramente colocada ao lado da cabeceira, sem qualquer charme. No passado domingo, depois de fazer a cama, olhei para ela e pensei que as mesas de cabeceira são a última visão que temos antes de adormecer e eu sempre olhei para elas como um apoio de “tralhinhas”, nunca como um espaço inspiradorPara uma noite tranquila é preciso um quarto tranquilo, perfumado, arrumado, sem tralha, sem pó, uma cama confortável, bons lençóis e almofadas… e, é óbvio, uma mesa de cabeceira que reflete quem somos e que nos inspira ao mesmo tempo que traz paz.
Ok, estava na hora de me divertir um pouco e tratar deste assunto. Fui “às compras” pela casa e recolhi uma série de objetos. Passei um bom par de horas a organizá-los de várias formas, a imaginar o uso e a função que teriam (aliados à estética, claro!), a recriar uma temática que refletisse o meu estado de espírito atual, e fotografei algumas versões para partilhar convosco.

Entre um look de outono e alguns apontamentos natalícios, aproveitei para abrir a porta à época do ano de que mais gosto!
As decorações de Natal são da Leroy Merlin. São lindas e mesmo como eu queria ver a nossa casa, este ano – quentinha e natural! Tenho mais da mesma coleção, mas estou a reservá-las para a árvore e restante decoração. (Depois partilho! 😉 )

Look 1

 

O que eu acho que faz sentido na minha mesa de cabeceira:

  • um elemento natural – flores frescas ou secas em vaso ou em jarra
  • um elemento decorativo, artístico ou artesanal – uma escultura, um quadro, uma fotografia, decoração temática (natal, primavera, verão,…)
  • um elemento de valor sentimental – um quadro ou moldura com fotografia
  • um elemento pessoal – os cremes de noite (a ver se não falho tanto!)
  • um objeto prático – o “despeja bolsos” para colocação dos brincos, colares, relógio, etc.
  • um aroma – vela ou um ambientador têxtil (que uso quando faço a cama)
  • um elemento de cultura ou lazer – o livro ou revista que estou a ler

 

Regras que tentei manter:

  • colocar sempre um objeto mais alto, um intermédio e outros mais baixos
  • dispô-los por forma a que o nosso olhar faça um percurso em S ou Z
  • agrupar objetos do mesmo estilo ou gama de cores (prateados, ou dourados,…)

 

Look 2

Look 3

Look 4

A argola fui eu que fiz usando um cabide (daqueles de metal, da lavandaria, que abri até fazer uma forma redonda) e um ramo de folhas e bolotas (que também veio da Leroy Merlin).

 

Não cheguei a decidir qual a composição que vai ficar. Por agora está uma delas, mas até era giro saber a vossa opinião.
E sim, confirmo que sabe tão bem olhar para este canto antes de fechar os olhos e dormir… mas também posso dizer que sabe bem ser a primeira coisa que vejo ao acordar.

Experimentem! Vale mesmo a pena perder uma hora ou duas a criar o nosso canto. E digam coisas!
Beijos e abraços,

Carl♠ta

9 Comentários
  • Manuela Margalha
    Publicado às 17:01h, 22 Novembro Responder

    O último parece-me mesmo o melhor 🙂 e o candeeiro faz sempre falta!

    • Carlota
      Publicado às 17:25h, 22 Novembro Responder

      Parece que o último está a ganhar!… 😉

  • Susana Marques
    Publicado às 14:16h, 21 Novembro Responder

    Look 3: a folhinha conquistou-me!

    • Carlota
      Publicado às 15:07h, 21 Novembro Responder

      Essa folhinha também me encantou!!!…

    • Carlota
      Publicado às 15:08h, 21 Novembro Responder

      Também adoro essa folhinha!Caso opte por outro look, arranjarei outra parede para essa folha. 😉

  • Cláudia Nazareth
    Publicado às 08:25h, 21 Novembro Responder

    Look 4, é o meu favorito!!! Sóbrio, com o que é essencial e com cores da época!

    • Carlota
      Publicado às 15:06h, 21 Novembro Responder

      Got it! Obrigada pela opinião. Sabes que as tuas opiniões são sempre muito importantes para mim. Bejufas!

  • Joao
    Publicado às 22:35h, 20 Novembro Responder

    Eu voto look 4.
    Os apontamentos das folhas e das bolotas dá um ar muito zen e muito adequado a esta época.
    O candeeiro faz sempre falta na mesinha de cabeceira para a última leitura do dia.

    Bjs

    • Carlota
      Publicado às 15:05h, 21 Novembro Responder

      Sim, luz na mesa de cabeceira faz-me falta…

Publique um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.