Um destes dias, as nossas batatas doces, esquecidas no cesto das batatas, começaram a grelar. Achei a folha tão verdinha, tão bonita — em forma de ♥ — que coloquei a batata em água e deixei que continuasse a crescer.  Entretanto, levei outra para a escola, onde dou aulas de artes a crianças, e acompanhámos o seu crescimento à medida que a íamos desenhando. A alegria dos meus meninos a cada semana que passava e as hastes aumentavam!!!
As aulas acabaram e tive que trazer a nossa plantinha para o atelier. Arranjei o sítio perfeito para ela e adoro tê-la ao meu lado!

Ando há meses para tratar das nossas plantas em vaso…
De tanto aguardar estão em sofrimento, coitadinhas. E olhem que, para catos e suculentas chegarem ao ponto as que as nossas chegaram, é preciso muita displicência e desleixo!
Ontem, a meio do dia de trabalho, já cansada dos desenhos e do computador, olhei em volta e cheguei à conclusão que faltava vida na minha sala.
Rapidamente, fui à varanda e retirei deste vaso umas suculentas sofridas.